3 tendências para recrutamento em 2019

Em seu recém-lançado relatório, “Tendências do mercado de trabalho: cinco novidades em recrutamento para acompanhar em 2019”, o economista-chefe do Glassdoor, Andrew Chamberlain, apresenta algumas das mais importantes tendências que os recrutadores e profissionais de RH precisam conhecer.

Essas novidades devem impactar o mercado de trabalho não só durante o próximo ano, mas pelas próximas décadas. Separamos a seguir os pontos mais importantes para te ajudar a se preparar para o que há de vir:

1 – Inteligência artificial para recrutamento

Estamos habituados com a maneira tradicional de contratar: as empresas anunciam vagas e esperam que bons candidatos se inscrevam. Hoje, os sites de empregos melhoraram significativamente esse processo, permitindo escalabilidade e segmentação, mas ainda falta muito para que seja possível à tecnologia escolher automaticamente o candidato perfeito.

Com o desenvolvimento da inteligência artificial para o recrutamento, no entanto, essa ambição pode se tornar realidade. O resultado é um ganha-ganha: quem procura emprego não precisa gastar tanto tempo examinando diversas vagas, e os recrutadores recebem um grupo menor de candidatos de alta qualidade, economizando tempo e dinheiro.

2 – Novo olhar para a área de tecnologia

Quando são fundadas, as empresas de tecnologia focam em contratar candidatos com habilidades técnicas para construir a infraestrutura por trás de seus softwares e produtos. No entanto, muitas dessas ex-startups ficam grandes e exigem funcionários de todos os departamentos para apoiar suas operações. E, à medida que mais empresas amadurecem, o número de funções não técnicas só aumenta.

Por outro lado, empresas de setores como bancos, varejo, saúde e outros estão se posicionando como empresas de tecnologia para atrair o talento técnico de que precisam.
O resultado final desses dois fenômenos? Chamberlain acredita que haverá uma “convergência da força de trabalho” na qual as diferenças entre empresas tradicionais e de tecnologia se tornarão cada vez mais sutis, com a adoção mais ampla de vantagens e benefícios típicos da indústria tecnológica.

3 – Diversidade, inclusão e pertencimento

Quando as conversas sobre a igualdade no local de trabalho começaram, o foco foi apenas na diversidade – recrutar talentos suficientes de origens distintas e, eventualmente, ter uma empresa melhor. No entanto, se você contrata minorias e não as acolhe, as contratações serão passageiras.

A inclusão foi o próximo grande movimento, com a busca por garantir que funcionários de diversas origens se sentissem conectados à organização em termos de oportunidades de networking, promoções, liderança etc. Mas, mesmo com todo o progresso nesse sentido, muitas pessoas ainda podem sentir que isso é só uma política e não promove uma integração de fato.

A seguir, o foco estará em pertencer. “Pertencer significa sentir-se seguro no ambiente de trabalho para mostrar suas diferenças sem ser discriminado por isso”, explica Chamberlain. “Ao construir uma cultura de pertencimento, os funcionários pertencentes a minorias podem se sentir mais à vontade no ambiente de trabalho – emocional e culturalmente – de modo que se sintam mais propensos a permanecer, se engajar e ser criativos.”

Esse texto foi inspirado em: 3 Trends Set to Revolutionize Recruiting in 2019 (& Beyond)

Leia também: 6 passos para aumentar a diversidade na sua empresa