candidato a emprego

Como entrevistar um candidato a emprego

Entrevistar um candidato a emprego não parece ser tão difícil. Basta ter o job description em mãos para usar como guia e conferir quais são as habilidades desejadas. Então, basta disparar uma dezena de perguntas e pronto! Agora é só decidir qual candidato foi melhor…

Bom, sabemos que na realidade as coisas não são tão simples assim. A tarefa de entrevistar candidatos e achar o talento mais adequado se estende muito além de avaliar habilidades técnicas versus job description e fazer perguntas para cumprir tabela. Abaixo, separamos algumas dicas que podem te ajudar na hora de entrevistar um candidato: 

1 – Reveja os requisitos da vaga

Antes de iniciar o processo seletivo, releia o job description da vaga para relembrar o que é necessário e esperado para a posição. É uma boa ideia bater um papo com o requisitante da vaga para entender melhor o perfil e esclarecer eventuais informações.

2 – Avalie o currículo

É fundamental que você leia o resumo profissional do candidato antes, seja o perfil online em alguma plataforma ou currículo impresso. Tente entender a trajetória da pessoa e anote os pontos que mais chamaram a atenção e os que geraram alguma dúvida.

3 – Cumpra o horário combinado

É comum lermos relatos de profissionais que se sentiram desrespeitados por atrasos e mudanças de agenda durante o processo seletivo. Então, se esforce para cumprir com o combinado e, caso não seja possível, tente avisar com o máximo de antecedência possível para não comprometer a imagem da sua marca empregadora.

4 – Promova um clima agradável na conversa

É muito comum que os candidatos estejam nervosos e inseguros antes de uma entrevista, e isso não significa um despreparo ou falta de aptidão para a vaga. Procure deixar a pessoa entrevistada tranquila, quebrando o gelo e perguntando, por exemplo, sobre a vinda até a empresa. Pense que quanto mais à vontade o candidato estiver, melhor a conversa entre vocês fluirá.

5 – Conte sobre seu ambiente, sua cultura e sua proposta de valor 

Muitos candidatos já pesquisaram sobre sua empresa, então você pode fazer perguntas sobre quais informações já possuem sobre a organização. Funciona também como uma avaliação do interesse dele pela oportunidade e como se preparou para a entrevista. Escute, veja se as informações que ele tem são corretas – até para avaliar como sua marca empregadora está sendo percebida. Complemente com fatos sobre sua cultura e sua proposta de valor ao empregado, contando como seria um dia típico na empresa para ajudá-lo a se imaginar trabalhando lá.

6 – Explique sobre a vaga e os desafios propostos

Aproveite para deixar claro quais são os principais desafios da vaga e o que é esperado que esse profissional atinja em termos de objetivos. É importante contextualizar a candidato, para que ele avalie se é a pessoa correta para ocupar a posição ou se há algum ponto de dúvida que ainda não foi sanado durante a conversa.

7 – Faça perguntas situacionais 

Muitas perguntas acabam permeando a parte técnica, com informações sobre conhecimentos, cursos e habilidades. Mas a empresa precisa avaliar também as chamadas soft skills – que são mais difíceis de perceber e você muitas vezes não consegue obter com um curso. Nesse caso, podemos fazer perguntas situacionais para o candidato, veja aqui alguns exemplos.

8 – Conheça um pouco do lado pessoal

Separe algum tempo da entrevista também para entender quem é a pessoa que está ali do outro lado da mesa com você. Quais gostos têm, como costuma passar o tempo, se já fez alguma atividade que deseja compartilhar (intercâmbio, viagem, voluntariado). Esta é uma boa maneira de avaliar alguma habilidade que pode ser útil para a função.

9 – Dê feedback após cada etapa

Independente da fase em que o candidato parou, seja uma simples triagem de currículo ou entrevista final com o gestor, dê feedback. Em alguns casos, vemos que o selecionador não tem o retorno do gestor e acaba por não entrar mais em contato com os candidatos. Nesses casos, é possível indicar que a vaga está em stand-by ou congelada, pois é normal que as pessoas criem algum nível de expectativa e fiquem aguardando o retorno da empresa, o que pode gerar frustração e impactar diretamente no seu trabalho de employer branding.