licença-paternidade

Licença-paternidade: como apoiar os homens

A chegada de uma criança na família é algo esperado por muitas pessoas, papais e mamães que por vezes, contam com a licença-paternidade ou a licença-maternidade. Por vezes, no entanto, podem surgir desafios e conflitos para conciliar essa situação com a vida profissional. 

Para que cada vez mais os homens possam desempenhar seus papéis na paternidade, muitas empresas já estão repensando seus benefícios. Confira algumas ideias abaixo: 

1 – Licença-paternidade estendida

Segundo a Constituição Federal, o novo papai tem direito a permanecer 5 dias em casa, podendo estender este período para até 20 dias – enquanto a licença-maternidade pode chegar a 180 dias. Hoje, percebemos um movimento forte das organizações em viabilizar que os homens fiquem mais tempo em casa, não só para dar maior suporte para as parceiras mas também para ter um contato maior com a criança recém-chegada. 

2 – Grupos de discussão ajudam

Em uma cultura muitas vezes repleta de vieses machistas, alguns papais podem sentir vergonha de dizer que estão cuidando dos filhos ou até mesmo achar que essa é uma tarefa exclusiva da mulher. Uma maneira de quebrar esses tabus é promovendo grupos de discussão sobre o tema.

3 – Benefícios voltados para a paternidade/maternidade

Muitas empresas fornecem como benefícios um kit maternidade para os novos papais e mamães. Verifique no seu budget se existe a possibilidade de presentear o profissional com uma cesta de mimos infantis. Isso mostra uma atenção e preocupação por parte da empresa com relação a vida pessoal do colaborador e pode ser uma ferramenta a mais para engajar e reter. Analise possibilidade de ter outros benefícios, como auxílio-creche, ainda que seja por somente um período.

4 – Uma cultura inclusiva além da licença-paternidade

Por último e não menos importante, é essencial que a cultura seja positiva. Garanta o apoio da gestão para que posturas discriminatórias sejam combatidas. Não adianta seguir todos os passos acima se em determinado momento o pai precisa levar o filho no médico durante o horário de expediente e os colegas tratarem a situação como anormal ou indesejada. Para que os pais sejam presentes na educação e cuidado dos filhos, é preciso abrir espaço e fornecer apoio.