por que cultura

Por que cultura pode importar mais que salário para os brasileiros

No atual mercado de trabalho, ter missão e cultura fortes é essencial quando se trata de atrair os melhores talentos. Realizamos uma pesquisa em junho de 2019, e os resultados só validam isso. Foi constatado que 81% dos profissionais brasileiros dizem levar em conta a missão e o propósito de uma empresa antes de se candidatar a uma vaga.

Os resultados deixam claro que os profissionais mais satisfeitos (e consequentemente, mais produtivos) afirmaram que a cultura do local de trabalho é mais importante que o salário – o que podemos encarar como um forte aspecto a se considerar para a retenção de talentos. Essas pessoas desejam trabalhar para uma empresa cujos valores se alinham aos seus e cuja missão eles possam apoiar. As empresas que não investem em sua cultura ou que não se preocupam em ter uma missão clara correm o risco de perder talentos importantes.

A pesquisa revela a importância da cultura e da missão da empresa tanto no recrutamento quanto na retenção de profissionais.

  • 61% dos profissionais brasileiros consideram a cultura do local de trabalho mais importante do que o salário para a satisfação profissional
  • 81% disseram levar em conta a missão e o propósito de uma empresa antes de se candidatar, e 77% disseram levar em conta a cultura
  • Além disso, 65% disseram que não se candidatariam em uma empresa cujos valores não estivessem alinhados aos seus valores pessoais
  • 61% disseram que buscariam outro trabalho caso a cultura da sua empresa atual se deteriorasse
  • 94% dos profissionais brasileiros acreditam que é importante para uma empresa ter uma missão e propósito claros. 

“Esta pesquisa revela que uma percepção negativa sobre a cultura e o propósito da empresa pode impactar significativamente a sua capacidade de preencher vagas. Para as companhias que lutam por talentos hoje, fica clara a importância de definirem e comunicarem bem os seus valores, bem como demonstrarem no dia a dia que estão vivendo de acordo com eles”, afirma Luciana Caletti, vice-presidente do Glassdoor para a América Latina.

Veja abaixo mais algumas informações interessantes:

MISSÃO

A missão – ou a razão de ser – de uma empresa tem um grande peso na decisão de seus colaboradores não só quanto a se candidatar ou não a uma vaga, mas também quanto a permanecer em seu emprego ou buscar uma oportunidade em outro lugar.

 

Eu levo em conta a missão e o propósito de uma empresa antes de me candidatar a uma vaga.
Concordo 81%
Neutro 14%
Discordo 5%

 

A missão da minha empresa é uma das principais razões para eu permanecer em meu emprego.
Concordo 69%
Neutro 19%
Discordo 12%

 

As empresas estão sendo mais guiadas pela sua missão ao recrutar e reter profissionais.
Concordo 60%
Neutro 25%
Discordo 14%

 

As pessoas onde eu trabalho são mais motivadas e engajadas graças à forte missão da companhia.
Concordo 49%
Neutro 24%
Discordo 27%

 

É importante para uma empresa ter uma missão e propósito claros.
Concordo 94%
Neutro 4%
Discordo 2%

 

CULTURA

A cultura de uma empresa pode ser definida como o conjunto dos valores, tradições, hábitos e comportamentos que permeiam o dia a dia dos seus colaboradores e sócios. Sua influência sobre os profissionais se confirma: a maior parte daqueles que responderam à pesquisa do Glassdoor afirmou que a cultura pesa em suas decisões. 

 

Eu considero a cultura da empresa antes de me candidatar a uma vaga.
Concordo 77%
Neutro 15%
Discordo 8%

 

A cultura da minha empresa é uma das principais razões para eu permanecer no emprego.
Concordo 63%
Neutro 18%
Discordo 18%

 

A cultura da empresa é mais importante do que salário quando se trata de estar feliz no trabalho.
Concordo 61%
Neutro 23%
Discordo 16%

 

Não me candidato a uma empresa a menos que seus valores sejam alinhados aos meus.
Concordo 65%
Neutro 19%
Discordo 16%

 

Se a cultura da minha empresa se deteriorasse, eu buscaria trabalho em outro lugar.
Concordo 61%
Neutro 22%
Discordo 17%

 

A pesquisa foi conduzida online com 1.456 usuários do Brasil da plataforma Love Mondays, hoje Glassdoor, entre os dias 19 e 24 de junho de 2019. Os respondentes tinham entre 18 e 60 anos e estavam empregados.